Ambiente do futuro. Quando a tecnologia se junta à agricultura

Tecnologia, Inteligência Artificial e ambiente estão mais ligados do que se pensa. E na Web Summit as conferências do palco Planet: Tech mostraram que já há muito a ser feito para melhorar o planeta

 

São muitas as startups que apresentam ideias para tornar o mundo um lugar mais ecológico, mas a LadSensors, uma startup portuguesa, chamou a atenção quer do ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, quer de Assunção Cristas, líder do CDS. João Ladeira e André Glória apresentam o projeto: «É um sistema de deteção de incêndios florestais através dos níveis de temperatura, humidade e dióxido de carbono (CO2)».

Através da colocação de sensores, criados de raiz pelos empreendedores, nas florestas, tanto João Ladeira como André Vieira acreditam que poderão passar a identificar pontos de ignição e, através de notificações enviadas diretamente aos bombeiros ou aos elementos da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), alertar as autoridades para o incêndio antes de este ganhar grandes proporções. Os aparelhos são colocados no topo das árvores – «se estiver muito baixo temos de estar muito próximos do incêndio para o detetar» – e têm um raio de deteção de cerca de 500 metros.

«Já falamos com os bombeiros e eles estão muito contentes», explica André Glória. E é com a ajuda dos bombeiros que vão começar a fazer os testes ao material: «Vamos fazer uma queimada com sensores a várias distâncias», acrescenta referindo que tal ainda não foi possível devido à proibição imposta pelo Estado para fazer queimadas durante a época do verão.

Para além dos sensores, a LadSensors já está a desenvolver também um projeto para colocar um equipamento nos fatos dos bombeiros, com GPS, que permite não só localizar os operacionais como medir as temperatura e os gases tóxicos a que o bombeiro está exposto. Desta forma os responsáveis pela operação poderão acompanhar melhor o trabalhado individual de cada bombeiro e evitar ferimentos e complicações.